quinta-feira, 23 de setembro de 2010

Qual a origem dos fenómenos climáticos extremos verificados na Rússia e no Paquistão ?

Calor extremo na Rússia, inundações catastróficas no Paquistão, o clima está louco? Será fruto do badalado aquecimento global ou de alterações solares cíclicas? Ou será que o homem já é capaz de modificar localmente as condições meteorológicas? Já ouviu falar do falar do projecto HAARP?




O bloqueio do jet-stream na origem das estranhas condições meteorológicas na Rússia e no Paquistão?



Um grupo de cientistas pensa que a intensa onda de calor na Rússia e as fortes inundações no Paquistão poderão estar ligadas ao comportamento pouco habitual do jet-stream.



Um jet-stream é um fluxo de ar rápido localizado na atmosfera entre 6 e 15 km de altitude. Os jet-stream têm vários quilómetros de comprimento, centenas de largura e poucos quilómetros de espessura. Estes ventos andam à volta do globo de oeste para este.



Os meteorologistas que estudam este fenómeno dizem que por vezes o jet-stream, por razões ainda desconhecidas, mantêm-se excepcionalmente localizados numa mesma área produzindo condições climáticas anormais.


Em Julho deste ano, em vez de se deslocar para este, o jet-stream manteve-se imóvel, bloqueando os sistemas meteorológicos em seu redor. O ar quente é então aspirado para norte, para as altas pressões, enquanto o ar frio se desloca para as baixas pressões.


No Paquistão, este bloqueio de jet-stream coincidiu com as moções de verão com as consequências trágicas que todos conhecemos.

(Mapa satélite mostrando o calor intenso acumulado por cima da Rússia devido à imobilização do jet-stream.)



Na Rússia, o bloqueio do jet-stream atraiu o ar quente vinde África produzindo o enorme calor que se fez sentir, particularmente na região de Moscovo.

(Imagem satélite do 12 de Agosto de 2010, mostrando o fume dos incêndios florestais na Rússia Os pontos vermelhos indicam os fogos activos.)



As causas destes bloqueios permanece desconhecida, alguns cientistas pensam que poderão estar ligados à fraca actividade solar.


(Gráfico de 24 a 30 de Julho 2010, mostrando a sua localização a norte do Atlântico e bloqueando um enorme anticiclone sobre o oeste da Rússia Podemos também verificar a depressão próximo do Paquistão.)



(Este gráfico mostra o mesmo período que o gráfico anterior durante um período alargado de anos. Vemos a configuração do jet-stream habitual neste período do ano, com ventos mais calmos e uma configuração sem bloqueios.)



Armas climáticas:

Para explicar estes fenómenos climáticos pouco habituais, os mais graves na Rússia e no Paquistão desde há 80 anos, muitos vão evocar o famoso aquecimento global, mas alguns vão culpar o projecto HAARP.

Citando Michel Chossudovsky, canadiano, economista na faculdade de Otava: "HAARP é uma arma de destruição massiva, capaz de destabilizar os sistemas agrícolas e ecológicos a nível mundial. A guerra climática é susceptível de por em perigo o futuro da humanidade".

Apesar de raramente reconhecido, a nova geração de armas electromagnéticas tem condições para alterar o nosso clima. Já em 1967, os Estados Unidos tinham um projecto (Projecto Popeye) para pulverizar as nuvens por cima do Vietname e assim prolongar as moções bloqueando o aprovisionamento da cidade de Ho-Chi-Minh.

Nos últimos anos os Estados Unidos desenvolveram sofisticadas tecnologias que permitem alterar à distância as condições climáticas de uma maneira muito selectiva. Esta tecnologia foi e está em parte a ser desenvolvida no quadro do programa HAARP (High-frequency Active Auroral Research Program). Este programa já foi abordado neste blogue em artigos anteriores. Resumindo, o sistema HAARP foi criado em 1992, está localizado no Alasca, em Gokona, e é constituído por uma rede de antenas de alta potência que transmitem por ondas rádio de alta frequência enormes quantidades de energia na ionosfera permitindo modificar, entre outro, as cargas electricas atmosfericas à distância.

Um documento da US Air Force chamado "AF 2025 Final Report" dizia que este projecto "oferecia aos soldados largas opções para provocar nos adversários inundações, secas e tremores de terra". A US Air Force apresenta este programa como sendo apenas um programa de investigação científica, mas os documentos militares confirmam que o objectivo principal é de induzir modificações ionosferas para modificar as condições meteorológicas e perturbar as comunicações e radares.


Em Fevereiro de 1999, o Comité dos Negócios Estrangeiros, da Segurança e da Política de Defesa do Parlamento Europeu pediu "que em virtude do impacto no meio ambiente, o sistema HAARP constitui uma preocupação mundial, e pede que um organismo internacional independente deveria ser criado para avaliar as suas implicações legais, ecológicas e éticas". Os Estados Unidos recusam qualquer comissão.




2 comentários:

  1. cadê os aspectos historicos?(concerteza incompleto)

    ResponderEliminar
  2. discordo totalmente achei o texto otimo

    ResponderEliminar