domingo, 22 de novembro de 2015

Para que servem os atentados terroristas do Daesh?

.






 






Antigamente os atentados terroristas serviam objectivos políticos ou territoriais. Compreende-se por exemplo os atentados bascos: serviam para a reinvidicação de um estado basco. Compreende-se os atentados palestinianos: servem para reinvindicar um território: o estado da Palestina.


Mas o que faz confusão, e raramente é abordado, é: para que é servem estes atentados do auto-proclamado Estado Islâmico?


A ideia que fica é que servem apenas para promover a simples ideia de terrorismo.












O que é o Jihad?


Dizem que os islamistas violentos justificam os atentados como uma ideia de "guerra santa". Ora, não existe qualquer texto islâmico que autorize matar, por exemplo mulheres e crianças inocentes.  
 

Em nenhuma passagem do Corão o termo "jihad" significa um conflito armado (este é designado por "qital"). O termo "jihad" significa luta ou esforço, no sentido dos crentes se esforçarem para atingir a sua plenitude, neste caso com Deus.


O texto sagrado do islamismo, o Corão, é um plágio da Bíblia que por sua vez é um plágio da Torá. Em todas as religiões existem interpretações radicais. O Corão não é excepção.
  

Historicamente, por questões tribais e políticas, houve interpretações convenientes para a época para conquistarem adversários, exemplo disso são os Hadith, uma espécie de textos e de lendas que se transformaram em leis sobre a vida de Maomé. Estes textos vieram estragar tudo.


Convém lembrar que Islão vem da raiz Sin, Lam e Mim que significa "paz". No Corão, o "grande Jihad" convida os muçulmanos à "luta" pela melhoria da sociedade. Das quatro interpretações do Jihad, só a ultima, "a pequena Jihad" significa combater o inimigo pela espada que na época significava combater o inimigo para defender o território.



O "nosso modo de vida".


Desde os atentados de Paris que se diz que foi atacado o "nosso modo de vida", como se o nosso modo de vida fosse uma coisa uniforme, igual para todos. Nem todos os franceses e ocidentais têm o mesmo modo de vida. esta referência parece absurda. 

Será que quem não tem no mundo o nosso modo de vida estará errado e deverá ser atacado? Muitas populações no mundo têm um modo de vida diferente do ocidental. Esta referência implica que existe um modo de vida comum e universal que não é verdadeiro.

Esta simplificação absurda esconde o verdadeiro objectivo dos atentados contra o ocidente e não explicam as suas reinvidicações.



Para que servem estes atentados?


Será que estes atentados indiscriminados com o único objectivo de fazerem vitimas vão permitir a conversão dos que não pensam como os radicais islâmicos? Será que estes atentados são perpetrados para reinvindicar um estado islmâmico mundial, quando a maioria dos países muçulmanos não concorda? Serão que vão invadir o mundo? Então qual o objectivos destes atentados?



Uma nova máfia tolerada pelo ocidente. 
 
 
O chamado Estado Islâmico financia-se pela venda de petróleo dos territórios conquistados vendendo esse petróleo a metade do preço internacional. Quem diz exportação diz transações financeiras. Quem diz transações financeiras diz compradores. Mas essas transações financeiras fazem-se através do "shadow banking" que não são contabilizadas nos grandes bancos mundiais.


Assim, só o petróleo rede ao Estado Islâmico cerca de um milhão de dólares por mês. Isto sem falar da venda de gás, algodão, fosfatos e extorsão das populações conquistadas.
 

Muitas dessas exportações são operadas através da Turquia. Mas o financiamento também passa pela Arábia Saudita e o  Catar.


O Estado Islâmico tornou-se nunca nova máfia em que muitos agentes comerciais têm interesse em manter os seus negócios. Tornou-se tão difícil de combater como as máfias organizadas que satisfazem muitos clientes.


Mas uma coisa é certa os seus atentados indiscriminados não fazem qualquer sentido. Satisfazem apenas um único objectivo: promover a ideia do terrorismo.










.







   

3 comentários:

  1. "O texto sagrado do islamismo, o Corão, é um plágio da Bíblia que por sua vez é um plágio da Torá. Em todas as religiões existem interpretações radicais. O Corão não é excepção." ...fim da citação.
    Esta observação é completamente distorcida, obtusa e míope. Observo várias vezes os teus comentários, e em geral aprecio,... mas a citação acima revela extrema ignorância.
    (Jota Borg)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ignorância é opinião sua.
      Li grande parte da Bíblia e lembro que o antigo testamento é sopreponível a muistos dos textos da Torá.
      Também li muitos dos texto do Corão (estudo árabe ecultura árabe) e constato que muitos dos textos são sobreponíveis à Bíblia.

      Mas esta é a minha opinião e aceito o contraditório.

      Eliminar
  2. Religião é rótulo. A verdadeira religião- o religare latino tem outra significação. Entende que respeitamos um poder maior uma inteligência suprema, causa primária de todas as coisas. Para crer e aceitar este poder não há necessidade de rótulos que só servem para separar os homens, injustamente, porque o Pai, o criador de tudo é um só, soberanamente justo e que não tem, como verdadeiro pai, eleitos, preferidos. Dá-nos livre arbítrio com consequências de nossos atos, conforme a ciência de Newton, na sua 3a. lei explica: Toda ação,,,,etc. etc Ao contrário as religiões separam, ao invés de unir, de ligar.Essas lutas religiosas escondem interesses muito materiais. Vamos nos ligar, nos unir, para combater a ignorância, as carências, as diferenças....

    ResponderEliminar