domingo, 9 de junho de 2013

Traição à Pátria

.





Quatro minutos que resumem bem o estado da Nação:

Miguel Tiago (PCP) no âmbito da audição do ministro Víctor Gaspar na Comissão Eventual para Acompanhamento das Medidas do Programa de Assistência Financeira a Portugal, põe os ponto nos "i".









.

10 comentários:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Fernando,

      Ao tentar responder ao teu comentário apaguei sem querer o que tinhas escrito.

      Agradecia que o repetices, assim como o link

      Desculpa :)

      Um abraço

      Eliminar
    2. Dizia eu, que tinha apenas um reparo a fazer, ao que foi dito ao primo do Louçã...

      Que era que, não se tratam de "falhas de previsões" e de uma "incapacidade de perceber" que as medidas que estão a ser tomadas têm um efeito destruidor na Economia. Pois, as mesmas estão a ser tomadas para *propositadamente* destruir a nossa Economia.

      Um abraço.

      Eliminar
    3. Obrigado e desculpa :)

      Um grande abraço

      Eliminar
  2. Sábias e oportunas palavras...tanto do
    Miguel Tiago (PCP), como do Fernando Negro. E as do Fernando Negro, muita gente ainda não percebeu...

    É pena, porque querem lá saber (é pérolas a porcos, sendo "porcos" um adjectivo que lhes cai muito bem) e o problema é que só irão ouvir a "mal" e quando for assim, vão tirar férias para longe.

    ResponderEliminar
  3. Infelizmente, é o COMUNISMO que as elites nos querem servir como alternativa ao "status quo" actual...
    Não sendo eu afiliado/apoiante de qualquer partido/idiologia política, não deixo de concordar com muitas coisas que estes comunistas dizem. Nesse mesmo sentido, é fácil imaginar que esse discurso venha a ir de encontro com as espectativas do meu Povo.

    Mas...como eu digo muitas vezes, o comunismo é o modelo de sonho das elites, veja-se o caso da CHINA. A CHINA, com o seu modelo politico social montado com a ajuda da Grande Banca Mundial tem actuado como o verdadeiro destruidor de industrias/empregos no mundo ocidental sendo, talvez a grande conquista do plano Maçonico/Pedófilo/Satanista ( plagiando aqui o Fernando Negro ).

    Abraço a todos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. O que as elites, que tudo controlam no topo, querem não é o Comunismo. Mas, sim, uma mistura deste com uma forma ainda mais extrema de Capitalismo. Um regime fascista, algo semelhante ao Nacional-Socialismo, mas numa versão internacional e onde não existe uma classe média. E a China, há já muito tempo que deixou de ser "comunista" para se aproximar mais de um modelo fascista.

      O Comunismo (controlado - que não é o caso do PCP, mas que já é do BE) serve apenas como uma antítese ideológica ao Capitalismo para, do confronto de ideais, ser criada a desejada síntese fascista (e centrista).

      http://forum.prisonplanet.com/index.php?topic=43336.0

      Eliminar
  4. A meses das eleições legislativas que o levou ao poder, Passos Coelho escreveu um livro onde todas as ideias que veio a pôr em prática, ideias neo-liberais e radicais, estão lá bem expostas. Eu li e em função disso não votei PSD, claro, por não concordar com elas. E quem votou PSD leu o livro?
    Provavelmente não! E esse é o mal! O voto é das poucas armas que temos e devemos usá-la bem! Caso contrário, pagamos com a perda de "qualidade de vida".

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sendo esta "malta maçonica" adepta de simbolismos e rituais, esse livro foi o "contrato" que Passos assinou para poder ser o "idiota útil" candidato à liderança do PSD e às eleições legislativas seguintes.
      Até o beijinho na mão ao descendente bastardo de D. Pedro IV não faltou...

      Eliminar
  5. Viriato,

    De facto, os fantoches são colocados no poder para cumprirem um função.

    Não se apercebem disso porque desde muito cedo são escolhidos para tal com a promessa, muito humana do poder, mais do que o dinheiro, o que todo o ser aspira é o reconhecimento e o poder. Sentem-se "donos do mundo" e acreditam piamente que têm esse poder que não passa de temporal.

    Desde de muito cedo são escolhidos para desempenhar essas funções, veja-se nos Estados Unidos onde são recrutados pelas "associações" académicas, as "Fraternity" onde depois de serem submetidos a várias praxes, tornam-se lideres.

    Serão esses que mais tarde se tornam presidentes todos potentes, sem saberem que foram "escolhidos".

    Serão esses que tomarão as decisões preconizadas pelos que os controlam e que serão descartados aquando de não necessário.

    ResponderEliminar