terça-feira, 13 de março de 2012

O cerne da questão

.




Vejam como o Euro foi um excelente negócio para a Alemanha e péssimo para os GIPS (Grécia, Itália, Portugal e Espanha). Reparem bem na simetria das curvas:




Um gráfico idêntico aparece num texto  de Paul Krugman que cita Gavyn Davies :*

“É normal debater o problema do endividamento soberano concentrando-se na sustentabilidade da dívida pública nas economias periféricas. Mas pode ser mais informativo enxergá-lo como um problema no balanço de pagamentos. Tomados em conjunto, os quatro países mais problemáticos (Itália, Espanha, Portugal e Grécia) têm um déficit conjunto de US$ 183 bilhões na conta corrente. A maior parte deste déficit corresponde ao déficit no sector público destes países, já que o seu sector privado se encontra actualmente num estado aproximado de equilíbrio financeiro. Compensando estes déficits, a Alemanha tem um superávit de US$ 182 bilhões em conta corrente, o equivalente a cerca de 5% do seu PIB.”



Isto significa que ao contrário do que acontece num estado federal, o estado que produz mais riqueza não a reparte significativamente pelos outros estados (fomentando a sua economia, por exemplo). 


Percebe-se assim a atitude de boicote sistemático da Srª Merkel a qualquer plano que ponha cobro aos ataques especulativos e sequenciais dos mercados financeiros, pois isso exigiria que a Alemanha utilizasse uma parte do seu superavit para realizar empréstimos que apenas renderiam uma taxa de juro modesta.


Pelo contrário, se conseguir fazer aguentar a situação de impasse por mais algum  tempo, o bloqueio do crédito fará com que um grande número de empresas tenham de ser vendidas para não falirem, sendo então compradas pelos alemães.


Temos assim um ataque em tenaz tão ao gosto germânico: mantêm-se os países desprovidos dos normais mecanismos de defesa cambial - resultante da moeda única e  das regras impostas ao Banco Central Europeu - acentuando rapidamente as suas debilidades estruturais, e simultaneamente dificulta-se o acesso ao crédito levando cidadãos  empresas e estados a um beco sem saída. 


Depois de espalhar o medo, substituem-se os governos desses países (Grécia, Portugal, Espanha, Itália), reduzem-se salários e regalias sociais e finalmente compra-se a capacidade produtiva de um país ao preço de saldo.  


Sem disparar um tiro a Alemanha está a conseguir  alimentar os seus desígnios imperiais melhor do que conseguiu na primeira e segunda guerra. Em menos de 100 anos a Europa tem de enfrentar uma calamidade social provocada pela Alemanha.


De facto estamos a enfrentar uma situação de guerra, em que as armas até podem ser corteses e silenciosas, mas não deixam de ser devastadoras.




(Texto reproduzido em vários blogues sendo a origem e o autor desconhecidos)

38 comentários:

  1. Olá Querido Amigo

    É... e no meio de tudo isso, temos já o exemplo da Wolkswagen cujas vendas bateram o record em 2011 e ascenderam aos 8 mil milhões de lucro. Só para empregados na Alemanha, o bónus será de mais de 7.000 euros, como prémio. Tudo bem que distribuam algum pelos trabalhadores, mas vendo a miséria em que nos colocaram, esta disparidade é imoral e faz com que o ódio entre povos, comece a fervilhar. Crise?! aonde?! Para alemães não é de certeza. É por isso que adoro esta frase de Marx em 1845: "Os alemães saltaram do homem de Neanderthal directamente para o século passado. É esta a História dos alemães, os verdadeiros cretinos."

    São realmente armas silenciosas e por ironia, as mais destrutivas que se poderá imaginar!

    Um beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por que tanto rancor contra a Alemanha?
      Em si a Alemanha de hoje existe desde 1945, quaae todo seu território foi destruido e agora somos o país mais desenvolvido da Europa e um dos pioneiros no mundo.
      Tomo a liberdade de lhe escrever que aqui trabalha-se duro com disciplina e responsabilidade.
      Enquanto Portugal só recebia dinheiro a Alemanha era bem vinda. Portugal nao cumpriu os acordos assinados com a UE, agora está falido porque gastou mais do que teve e nao vejo neste sentido nenhuma culpa da Alemanha

      Eliminar
    2. A ingenuidade dos povos dos GIPS não lhes permitiu ver a prenda envenenada que estavam a aceitar, ao receberem tantos milhões a "fundo perdido", que realmente foram a contrapartida de terem aceite a destruição do respectivos aparelhos produtivos; agricultura, pescas, etc.
      Agora se vê que teria sido preferível não vermos tantos Mercedes e tantos BMWs a circular nas nossas ruas...
      Se não tivessemos aceite os desequilíbrios não eram hoje tão grandes. Não existiria esse milagre alemão, não estariam os GIPS tão pobres e dependentes.

      Eliminar
    3. Concordo plenamente consigo.
      Foi um tempo muito bom e voltará. Toda crise é passageira uma vez que a consciencia dos erros seja reparada e nunca mas cometida.

      Eliminar
    4. 20 de Março de 2012
      O sistema dos bancos-sombras
      Cá estamos outra vez.
      E falemos de bancos.

      As Mentes Pensantes de Bruxelas lançam um Livro Verde. Um conjunto de receitas vegetarianas? Um manual de jardinagem? Nada disso.
      Explica a União Europeia:

      Os Livros Verdes são documentos de discussão sobre um específico assunto político, publicados pela Comissão. São antes demais documentos para todos aqueles (organizações e privados) envolvidos no processo de consulta e debate.

      Wow, parece uma coisa importante...e de facto é: a ideia é estabelecer uma forma de vigilância do sistema dos bancos-sombras.
      O que é isso?

      Essencialmente, esses bancos-sombras oferecem alternativas de depósitos para os investidores e a economia real, canalizando recursos para necessidades específicas, permitindo uma diversificação dos riscos (mas sem eliminar o risco, pelo contrário); contornam a regulação bancária, operam numa zona cinzenta onde é difícil saber o que realmente acontece. Mas os riscos não ficam nesta "zona cinzenta", pelo contrário: podem ser transmitidos ao sistema bancário "normal" com os empréstimos e as linhas de liquidez.

      São bancos que operam no limite da legalidade e muitas vezes já além disso. Mas não são apenas bancos, pois entre eles encontramos:

      fundos monetários
      fundos de investimento
      empresas que oferecem empréstimos ou garantias para empréstimos
      empresas que realizam operações de processamento de liquidez sem ser regulamentadas como os bancos
      sociedade de seguros que garantem produtos de crédito.

      Um problema europeu? Nem por isso.

      Globalmente, o sistema "sombra" em 2011 alcançou o valor de 46.000 mil milhões de Euros face a os 21 mil milhões de 2002: sozinho constitui 25-30% do total do sistema financeiro e metade de todos os activos bancários. Só nos Estados Unidos os bancos-sombras representam 35-40% de toda a actividade bancária.

      E agora eis que a União Europeia decidiu intervir com o Livre Verde. Uma espécie de luta entre Don Quixote e os moinhos de vento, que provavelmente ficará perdida na areia movediça da burocracia e dos recursos.

      Porque mais uma vez estamos perante a prova de que o mundo da especulação alcançou um estado de delírio do qual não é possível voltar atrás sem repensar profundamente o sistema das finanças. E o mesmo Livro Verde da União Europeia é um triste sintoma disso: se existir um sistema de bancos-sombras que contornam as regras, este sistema deve ser fechado, não regulamentado.

      Mas tentem fazer perceber certas coisas...

      Eliminar
  2. "Sem disparar um tiro a Alemanha está a conseguir alimentar os seus desígnios imperiais melhor do que conseguiu na primeira e segunda guerra. Em menos de 100 anos a Europa tem de enfrentar uma calamidade social provocada pela Alemanha"

    Sublinho esta parte, mas o mais expressivo é o gráfico... que dá a verdadeira dimensão do "roubo"... (só coloco aspas, porque é consentido)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cavaco Silva e Sócrates venderam as indústrias portuguesas ao Leste Europeu deixando o povo sem trabalho, passando a viver apenas do turismo.
      Foi por culpa da Alemanha???
      Seu comentário é um grande disparate colocando a Alemanha na posicao de "ladra"!
      Enquanto voces podiam consumir à vontade estava tudo bom.
      O governo alemao sempre investiu seu desenvolvimento ao povo.
      Voce deveria culpar os BANCOS que sao os geradores da crise Européia. Eles estao por traz disto tudo , fazendo festa.

      Eliminar
    2. Já procurou descobrir a lista de roubo do governo portugues em relacao às remersas de dinheiro enviados pela UE para ajudar Porugal?
      Se o dinheiro tivesse sido investido para o desenvolvimento do país e bem do povo, nas estaríamos agora aqui discutindo.

      Eliminar
  3. Por que tanta discriminacao contra a Alemanha? A Alemanha produz e todos os outros países se aproveiaram disto.
    De onde os portugueses tiveram dinheiro para comprar Daimler e BMW?
    Portugal se desenvolveu desde que entrou na UE, só que gastou mais do que recebeu, aliás corrompeu-se e nunca pagou nada. Somente recebeu e aproveitou-se.
    Li que a maior dívida destes países é do funcionalismo público. Por que? Existem mais funcionário do que necessitados.
    Penso que os outros países poderiam fazer igual a Alemanha. Produzir para a exportacao, mas nao! Eles querem que a Alemanha pague tudo para eles e ainda somos culpados por tudo.
    Se a Alemanha fosse repartir o seu bolo entre todos os membros da uniao, quem iria agora enfiar dinheiro no BCE para os países que sao próprios culpado pela suas misérias ? Semana passada a Alemanha enviou 110 Bi € para a Grécia.
    É muito triste tudo isto, seria bom que a paz retornasse e que cada um reconhecesse os erros cometidos.

    ResponderEliminar
  4. Então e os biliões que pagam aos chulos dos judeus todos os anos!!! Ninguém fala disso...
    Grande País a Alemanha!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Finalmente um alguém informado que sabe mesmo da verdade.
      Obrigada!

      Eliminar
    2. Anónimo,
      Não sei se leu o meu 2º comentário, mas falei nos Rothschild e isso, é sinónimo de BANCA, senão veja:
      .
      " Há quem sustente que o Irã não está sendo demonizado por ser uma ameaça nuclear, mas porque é um dos três países cujos bancos centrais não estão sob o controle dos Rothschilds. Antes do 11 de Setembro eram sete: Afeganistão, Iraque, Sudão, Líbia, Cuba, Coreia do Norte, e Irã. No ano de 2003, entretanto, Afeganistão e Iraque foram tragados pelos Rothschild, e em 2011 Sudão e Líbia também tinham desaparecido. Na Líbia,o banco Rothschild se estabeleceu em Bengasi enquanto o país estava em guerra."

      Só que a Verdade, é que são judeus sionistas.. e não convém confundir... ou será que já almejam o genocídio dos anos 40? Será que Alguém se pergunta, porque diabo foi o Hitler um judeu de origem austríaca, pequeno e de olhos escuros?! Bolas!!

      Eliminar
  5. É sim senhor "
    um "grande país" e com pouco mais ou menos de dois séculos de história, já provocou duas guerras mundiais. Todos se referem à segunda, mas a 1ª foi algo de tenebroso! ainda vai acabar por ser o motor da terceira. Os Rothschild, essa família, só poderia ter origem na Alemanha, um bom ninho de víboras (sionostas/racistas/eugenistas):
    A família Rothschild, de origem judia asquenaze alemã e, atualmente, de múltiplas nacionalidades (francesa, alemã, britânica, israelense, etc.) é conhecida, desde o século XIV, por suas atividades bancárias e financeiras mas também por numerosas obras e filantrópicas, e a partir do século XIX, por seu apoio ao sionismo.
    Os Rothschild participaram dos negócios mais dinâmicos durante a Revolução Industrial,[1] em especial a indústria têxtil, que florescia. As tecelagens mecanizadas da Inglaterra produziam tecidos de qualidade em grande quantidade. Os Rothschilds passaram a negociar também essa mercadoria. O comércio do algodão oriundo da América do Norte para as tecelagens na Grã-Bretanha permitiu que a Casa Rothschild criasse vínculos através do Atlântico, com a florescente economia estadunidense.
    Diz-se que fizeram boa parte de sua fortuna no fim das guerras napoleónicas, quando tiveram conhecimento antecipado da vitória da Inglaterra e lançaram um rumor no mercado que Napoleão havia ganho a guerra. Com isto a bolsa caiu quase a zero, e os Rothschild praticamente compraram a economia inteira da Inglaterra. Quando foi dada a verdadeira notícia - a de que a Inglaterra havia vencido a guerra - os Rothschild emergiram como a família mais rica da Europa.
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Fam%C3%ADlia_Rothschild,
    Quanto à culpa ser dos portugueses... muito se poderia dizer. Nos anos trinta a culpa era dos judeus, não sionistas, claro!
    Em pouco tempo, os alemães lavam cérebros de milhões, basta ver os fanáticos dos apoiantes de Hitler, por isso não é para admirar a posição destes alemães que falam português. Nem sabem a diferença entre judeus e sionistas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. " não é para admirar a posição destes alemães que falam português."
      Interpreto ofensas como falta de argumentos.
      Nao estamos conversando sobre o passado e sim sobre o presente da situacao da UE, principalmente de Portugal.
      Sempre houveram crueldades, está havendo e continuará a haver.
      O tema das guerras do passado nao vem à questao.
      Nunca ouvi ou li que Portugal indenizou o Brasil e o povo brasileiro com relacao à exploracao e da colonizacao do país assim como indenizou os países africanos e às famílias dos escravos comprados para "trabalherem" durante a monarquia dos séculos XV até XIX!
      Portugal explorou vários países africanos e alguns do leste e nunca se respsonsabilizou pelas suas atitudes e barbarimos.
      Também contiuam calados as crueldades desta época, afogando os denominados "traidores" e outos títulos, na Torre de Belém. Também inocentes que nao tinham a cor dos olhos simpáticas!
      Sei de perto que a situacao de Portugal é muito difícil e tenho solidariedade com o povo portugues.
      A Troika está sempre interessada em ajudar com dinheiro, porque é escolarizada pelos bancos e pelo governo americano.
      Entenda que a Alemanha nao é culpada da situacao atual de Portugal e sim os políicos eleitos para governar este país nao passam de uma cambada de corrúptos e sem vergonhas.
      Nao use o passado para acusar a Alemanha, que ao lado da Franca e Inglaterra sustenta a Uniao Européia.
      Viva o presente,deixe de acusar e acorde para a realidade.

      Eliminar
    2. Uiii!!! tanto rancor aos portugueses e de tão longa data!
      Viver o presente?! Tá bonito...
      Pois... esse é o mal, um povo sem história é um povo sem memória e um povo sem memória, é o que se vê, ou louco, ou escravo de loucos. Não aprendem com os erros do passado. Quando os portugueses descobriram o Brasil, ainda nem sequer existia Alemanha e nós portugueses, por muito que nos façam, ainda nos lembramos disso e aprendemos com os erros do passado e gostamos dos brasileiros!!!. Mas, como convém e porque Portugal não tem a "fábrica de sonhos" de Hollywood para apontar o dedo a outros, ninguém fala no extermínio dos índigenas da América do Norte, que se estima em 19 milhões e não me venham com a conversa, de que os a América Latina foram vítimas de genocídio voluntário pela parte dos colonizadores!!!
      Quanto aos Países africanos, sorte a deles terem substituído os colonizadores portugueses, pelos americanos e chineses!
      Quanto ao resto... são perspectivas e que mais cedo ou mais tarde, vão despoletar a tão esperada guerra, de que os capitalistas necessitam para alimentar o próprio capitalismo predador.

      Pode dar vivas, que pelos vistos também sustentam imigrantes... até quando lhes convier.

      Sim...sempre HOUVE crueldades!

      Já que sabe tanto, que andaram os alemães a fazer no Brasil em meados do século XX, sabe explicar? gostaria de saber...


      Quanto aos políticos, tem razão, com certeza.

      Eliminar
    3. Talvez ISTO o possa relembrar, que é bom ter memória... Especialmente para aprender com os erros do passado! Pelos vistos o Brasil escapou da boas intenções do Nazis! Vermos como escapará de outros predadores. Espero bem que sim!

      Eliminar
    4. "Nao estamos conversando sobre o passado e sim sobre o presente da situacao da UE, principalmente de Portugal"

      Anónimo, não vamos falar do passado e remonta ao séc XV? Vai comparar o pensamento do séc XX com o de 500 anos atrás?! Não quererá vocemecê falar de impérios que cometeram genocídio pela fome e extermínio pela força?! Deve estar a brincar! Além de que quem tem falta de argumentos é você, porque se "esqueceu" ou não sabe que os portugueses foram os 1ºs a abolir a escravatura e a pena de morte.
      Depois esquece-se que estamos todos no mesmo barco, olhe bem por si abaixo... e ainda que os argumentos que importam, estão no post.

      Eliminar
    5. Apenas lembrei que nao é somente a Alemanha o único país cruel do planeta.
      Quer seja há 500 atrás ou mais do que 67 anos, guerra é guerra!!!
      Se Portugal foi o primeiro país a abolir a escravaura e a pena de morte, é porque os praticava. A época em que isto aconteceu nao é tema para debate. Fato é que aconteceu, mas porque já foi num longo passado até parece que era normal.

      Eliminar
    6. Olá Fado do Bosque,
      Vamos às vias de fato!!! Para contiuar dialogando consigo,nao admito ofensas e nem deboches!!!
      O tema a discutir é a atual situacao da economia dos países na zona da UE.
      Comentar sobre a história passada nao é nenhuma proeza e nao se encaixa ao tema acentuado. Tem tudo no google.
      Lembrei o passado de Portugal porque somente as "guerras alemaes" sao e vao continuar em destaque.
      Bomba atomica no Japao, guerra no Vietnam, Irak, Síria, guerillhas na América Central ,Afganistao,ditadores militares, Fidel Castro, etc..... sao apenas notícias de jornais que lemos, mas nao estao nos afetando. Ninguém se enfurece ou toma partido do assunto.
      Se voce mesma reconhece os erros cometidos pelos políticos portugueses, nao tem nada mais para criticar a Alemanha.
      Já esteve na Alemanha?
      Por que os outros países nao fizeram ou fazem igual?
      Receber dinheiro para usar sem nada prodizir é muito mais fácil.
      Falo no sentido de investimento numa economia forte e crescente.
      A República Federal da Alemanha existe apenas há 67 anos e para mim é a economia mais estável do mundo.
      Repito que aqui se trabalha duro, pagamos muitos impostos, há 5 anos que o povo trabalhador nao recebe aumento de salário e para sustentar a UE foram criados muitos impostos novos ou a cota de alguns foram aumentadas.
      Nao vivemos num mar cheio de Euro, mas sim somos trabalhadores,organizados, disciplinados e responsáveis pelo país em que vivemos.
      Nao somos patriotas de ficar cantando o hino nacional, mas somos orgulhosos do que alcancamos.
      Convido-lhe para conhecer a Alemanha e verá que tudo o que escreveu é apenas falta de informacao para a realidade.
      Tudo parole!!!

      Eliminar
    7. Quem é que está no deboche?! Em que é que o ofendi?
      E quem pensa você que é, para me dizer que devo descontextualizar o carácter do povo alemão da História? E que proeza? Não é você que acusa aqueles de quem herdou a língua, de preguiçosos e corruptos? E é de tal forma que julguei que não fosse latino, mas sim germânico a "falar" bem o português e ainda estou na dúvida!! isso é deboche?
      Atenção quando falei em políticos, não falei só dos portugueses, mas de todos os da UE!... incluindo alemães que se venderam ao poder financeiro, ou pensa que são anjos?! Acorde você para a realidade!! pois estão a impor uma ditadura económica/tecnológica e você todo feliz! Isso sim é deboche dos portugueses. Pelo menos fique calado. Parabéns por serem máquinas...?devastadoras! Pode ter orgulho na sua raça... que não sei qual é, mas suponho que??
      Parabéns pela sua economia forte e crescente à custa dos mais fracos!
      Parabéns!
      Ah! e não se esqueça de ir ao google... um pouquinho de história alemã, que não é muito extensa, far-lhe-á bem. Pode ser que o coloque acima de máquina e lhe dê um pouco daquilo que lhe falta, nobreza.

      Eliminar
    8. Anónimo da "escravatura" e do português bem falado... só uma pergunta, o Brasil esteve em guerra com Portugal? Que guerra? Quando?! Houve uma parte da História que me passou despercebida?
      Afinal quem tem razão é a Fada, a falta do estudo da história leva a erros colossais.

      Eliminar
    9. Para Fado do bosque,
      DESISTO !!!!!!!!!
      O objetivo em trocar opinoes sobre a situacao economica na zona do Euro, nao foi encontrado entre nós.
      Aqui, na Aleanha, se diz:
      " o inteligente cede!"
      Ponto final.

      Eliminar
  6. Minha querida amiga,

    Obrigado pelo teu esclarecimento e sobretudo pela tua coragem na abordagem dos assuntos.

    Um grande beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Meu querido amigo, é um dever... por causa daa ignorancia a História está a repetir-se. Esquecem-se que Hitler era judeu sionista e foi posto no poder para dar caça aos outros judeus. Para quem tem dúvidas aí vai mais um esclarecimento sobre a Alemanha por parye dde um grego. O que ele não disse é que a Açemanha não ficou a dever apenas à Grécia!

      A publicação na revista Stern de uma carta aberta de um alemão que se sente ofendido com o "estilo de vida" grego suscitou a devida resposta de um grego, também publicada na Stern. Pelos "equívocos" alemães no que respeita ao tomar o todo (que é o povo grego) pela parte (que são os políticos gregos), tanto quanto as múltiplas culpas que à Alemanha são imputáveis nas condições a que chegou o povo grego, vale a pena a leitura destas duas cartas.


      “Carta aberta” de um cidadão alemão, Walter Wuelleenweber, dirigida a “caros gregos”


      Depois da Alemanha ter tido de salvar os bancos, agora tem de salvar também a Grécia. Os gregos, que primeiros fizeram alquimias com o euro, agora, em vez de fazerem economias, fazem greves.

      Caros gregos,

      Desde 1981 pertencemos à mesma família. Nós, os alemães, contribuímos como ninguém mais para um Fundo comum, com mais de 200 mil milhões de euros, enquanto a Grécia recebeu cerca de 100 mil milhões dessa verba, ou seja a maior parcela per capita de qualquer outro povo da U.E. Nunca nenhum povo até agora ajudou tanto outro povo e durante tanto tempo. Vocês são, sinceramente, os amigos mais caros que nós temos. O caso é que não só se enganam a vocês mesmos, como nos enganam a nós.
      No essencial, vocês nunca mostraram ser merecedores do nosso Euro. Desde a sua incorporação como moeda da Grécia, nunca conseguiram, até agora, cumprir os critérios de estabilidade. Dentro da U.E., são o povo que mais gasta em bens de consumo. Vocês descobriram a democracia, por isso devem saber que se governa através da vontade do povo, que é, no fundo, quem tem a responsabilidade. Não digam, por isso, que só os políticos têm a responsabilidade do desastre. Ninguém vos obrigou a durante anos fugir aos impostos, a opor-se a qualquer política coerente para reduzir os gastos públicos e ninguém vos obrigou a eleger os governantes que têm tido e têm. Os gregos são quem nos mostrou o caminho da Democracia, da Filosofia e dos primeiros conhecimentos da Economia Nacional. Mas, agora, mostram-nos um caminho errado. E chegaram onde chegaram, não vão mais adiante!

      Na semana seguinte a Stern publicou uma carta aberta de um grego, dirigida a Walter Wuelleenweber:

      Eliminar
    2. continuação:

      Caro Walner

      Chamo-me Georgios Psomás. Sou funcionário público e não “empregado público” como, depreciativamente, como insulto, se referem a nós os meus compatriotas e os teus compatriotas.
      O meu salário é de 1.000 euros. Por mês, hem!... não vás pensar que por dia, como te querem fazer crer no teu País. Repara que ganho um número que nem sequer é inferior em 1.000 euros ao teu, que é de vários milhares. Desde 1981, tens razão, estamos na mesma família. Só que nós vos concedemos, em exclusividade, um montão de privilégios, como serem os principais fornecedores do povo grego de tecnologia, armas, infraestruturas (duas autoestradas e dois aeroportos internacionais), telecomunicações, produtos de consumo, automóveis, etc.. Se me esqueço de alguma coisa, desculpa. Chamo-te a atenção para o facto de sermos, dentro da U.E., os maiores importadores de produtos de consumo que são fabricados nas fábricas alemãs.
      A verdade é que não responsabilizamos apenas os nossos políticos pelo desastre da Grécia. Para ele contribuíram muito algumas grandes empresas alemãs, as que pagaram enormes “comissões” aos nossos políticos para terem contratos, para nos venderem de tudo, e uns quantos submarinos fora de uso, que postos no mar, continuam tombados de costas para o ar. Sei que ainda não dás crédito ao que te escrevo. Tem paciência, espera, lê toda a carta, e se não conseguir convencer-te, autorizo-te a que me expulses da Eurozona, esse lugar de VERDADE, de PROSPERIDADE, da JUSTIÇA e do CORRECTO.

      Estimado Walter,
      Passou mais de meio século desde que a 2ª Guerra Mundial terminou. QUER DIZER MAIS DE 50 ANOS desde a época em que a Alemanha deveria ter saldado as suas obrigações para com a Grécia. Estas dívidas, QUE SÓ A ALEMANHA até agora resiste a saldar com a Grécia (Bulgária e Roménia cumpriram, ao pagar as indemnizações estipuladas), e que consistem em:

      1. Uma dívida de 80 milhões de marcos alemães por indemnizações, que ficou por pagar da 1ª Guerra Mundial;
      2. Dívidas por diferenças de clearing, no período entre-guerras, que ascendem hoje a 593.873.000 dólares EUA.

      Eliminar
    3. continuação:


      3. Os empréstimos em obrigações que contraiu o III Reich em nome da Grécia, na ocupação alemã, que ascendem a 3,5 mil milhões de dólares durante todo o período de ocupação.
      4. As reparações que deve a Alemanha à Grécia, pelas confiscações, perseguições, execuções e destruições de povoados inteiros, estradas, pontes, linhas férreas, portos, produto do III Reich, e que, segundo o determinado pelos tribunais aliados, ascende a 7,1 mil milhões de dólares, dos quais a Grécia não viu sequer uma nota.
      5. As imensuráveis reparações da Alemanha pela morte de 1.125.960 gregos (38,960 executados, 12 mil mortos como dano colateral, 70 mil mortos em combate, 105 mil mortos em campos de concentração na Alemanha, 600 mil mortos de fome, etc., etc.).
      6. A tremenda e imensurável ofensa moral provocada ao povo grego e aos ideais humanísticos da cultura grega.

      Amigo Walter, sei que não te deve agradar nada do que escrevo. Lamento-o. Mas mais me magoa o que a Alemanha quer fazer comigo e com os meus compatriotas. Amigo Walter: na Grécia laboram 130 empresas alemãs, entre as quais se incluem todos os colossos da indústria do teu País, as que têm lucros anuais de 6,5 mil milhões de euros. Muito em breve, se as coisas continuarem assim, não poderei comprar mais produtos alemães porque cada vez tenho menos dinheiro. Eu e os meus compatriotas crescemos sempre com privações, vamos aguentar, não tenhas problema. Podemos viver sem BMW, sem Mercedes, sem Opel, sem Skoda. Deixaremos de comprar produtos do Lidl, do Praktiker etc.

      Mas vocês, Walter, como se vão arranjar com os desempregados que esta situação criará, que por ai os vai obrigar a baixar o seu nível de vida, perder os seus carros de luxo, as suas férias no estrangeiro, as suas excursões sexuais à Tailândia? Vocês (alemães, suecos, holandeses, e restantes “compatriotas” da Eurozona) pretendem que saíamos da Europa, da Eurozona e não sei mais de onde. Creio firmemente que devemos fazê-lo, para nos salvarmos de uma União que é um bando de especuladores financeiros, uma equipa em que jogamos se consumirmos os produtos que vocês oferecem: empréstimos, bens industriais, bens de consumo, obras faraónicas, etc.

      E, finalmente, Walter, devemos “acertar” um outro ponto importante, já que vocês também disso são devedores da Grécia: EXIGIMOS QUE NOS DEVOLVAM A CIVILIZAÇÃO QUE NOS ROUBARAM! Queremos de volta à Grécia as imortais obras dos nosos antepassados, que estão guardadas nos museus de Berlim, de Munique, de Paris, de Roma e de Londres.
      E EXIJO QUE SEJA AGORA! Já que posso morrer de fome, quero morrer ao lado das obras dos meus antepassados.

      Cordialmente,
      Georgios Psomás

      Um beijo e obrigada eu, pela divulgação que faz neste blogue... :)

      Eliminar
    4. Isto de escrever às escuras... peço desculpa pelas gaffes.

      Eliminar
    5. Fada do Bosque,
      Essas carta são um mimo. Não resisti em publicá-las.

      Obrigado um grande beijo.

      Eliminar
    6. Obrigada eu dr. Octopus. Acho que fez exactamente o que eu queria que fizesse... mas deixei ao seu critério. Sempre uma pessoa altruísta e nobre. :)

      Um grande beijo.

      Eliminar
  7. Oração de um ateu crente !!!!!!!!!
    .
    Pai-nosso que estas no céu português, ouve esta prece desesperada!!!!!!!!

    Levai o Aníbal Cavaco Silva para o teu lado, urgentemente.

    Aproveita levai também:

    - Levai José Sócrates, o tal do Freeport, o da lixeira da Cova da Beira, e dos 383 milhões de euros depositados em offshore em nome da santa mãezinha/ titio e priminhos

    - Levai Mira Amaral, o tal que depois de ter trabalhado 18 meses como administrador da CGD, tem uma reforma de 18 mil euros por mês, desde 2004 + reforma de deputado + reforma de ministro da economia de cavaco.

    - Levai o Dias Loureiro que enterrou Portugal em mais de 9 mil milhões de euros com o BPN

    - Levai o Paulo Portas, este desgraçado dos submarinos que nos custaram mais de 1500 milhões de euros.

    - Levai os 230 deputados mamões da Assembleia da República das Bananas, de Portugal, que andam a mamar nas tetas inesgotáveis de nossos impostos

    - Levai os ex-presidentes da república, que custam aos contribuintes 300 mil euros por ano em Mamas.

    - Levai todos os mamões dos generais / capitães das forças armadas, que só sabem mamar em nossos impostos.

    - Levai a Celeste Cardona, que mamou desde 2004, 17 mil euros por mês na CGD.

    - LEVAI TODOS OS CABRÕES DOS POLITICOS PORTUGUESES ……. E SE POSSIVEL, OS DESPACHE PARA OS QUINTOS DOS INFERNOS !!!!!!!

    Livrai-nos de todos estes aldrabões senhor ………….

    Livrai-nos de todo este mal que infesta Portugal !!!!!!!!!

    Faça este povo imberbe e adormecido com o futebol, com a religião, com os fados, e com as novelas, que finalmente acorde, e arreganhe os dentes.

    Que arreganhem os dentes contra as SCUT´S

    Que arreganhem os dentes contra os aumentos da eletricidade/ agua / gas/ etc ……..

    Que arreganhem os dentes contra os políticos corruptos que infestam Portugal.

    Que arreganhem os dentes contra as religiões que os condicionam, e os transformam em carneiros amestrados, por terem medo da morte, e são transformados em marionetas por todo o poder, Opus Dei/ Maçonaria/ Bilderbergs/ Imprensa corrupta / etc ……….

    OIÇA MINHA PRECE DESESPERADA SENHOR, ALELUIA SALVE ALELUIA !!!!!!!!!!!!!!

    Amem !!!!!!!!!!!!!!!

    Um abraço religioso para todos.

    Ramiro Lopes Andrade

    ResponderEliminar
  8. Deutschland über alles!!!
    Ó minha Senhora, vossa senhoria nunca irá saber o que aquele povo labuta para pagar as dividas destes mongos europeus!!!
    Tenha paciência, já demos!

    ResponderEliminar
  9. Portugal em Estado de Guerra?!?

    Não me parece

    Acho que sim... este é o bom caminho! Para quê confusões e vidros partidos e carros a arder, ou outras coisas do género... Minha imaginação para estas coisas é limitada!

    Assim é melhor... Morrer calados e sossegados no conforto do lar, sem prejudicar mais ninguém... Gosto! É digno e honesto.

    A ligação tem música e tudo... para animar a malta, é claro!
    Abraço

    ResponderEliminar
  10. Foram crápulas com a mesma linha de raciocínio, como esses dois anónimos acima, que "falam bem português" que para estarem do lado do elo mais forte, denunciaram seres da própria raça, amigos e inclusive até familiares indiretos, à GESTAPO para que fossem enviados para extermínio. É a lei do safo-me eu, mas os outros que se f.....

    ResponderEliminar
  11. Existe, na minha terra natal, um sábio proverbio que diz “ os filhos não pagam os erros dos pais” parece correto não imputar aos filhos os erros dos pais.
    Cavalheiros, Senhora…se me permitem a ousadia, a história não deve ser julgada, um julgamento histórico é inexoravelmente um julgamento político onde velhos ódios, muitos infundados tendem a tomar o controlo da situação. Os alemães não são os perversos agiotas nem os Portugueses e os Gregos são anjinhos celestiais, a verdade é que nos pusemos a jeito e dos muitos milhões de alemães a esmagadora maioria não são de forma alguma responsáveis pelas nossas escolhas, aliás são um grupo muito restrito de apátridas alapados em grupos financeiros hostis que nos lançou a armadilha através da venda inflacionada de dinheiro, armas e acessórios. Nós somos (colectivamente, entenda-se) os responsáveis pelo nosso destino, através das nossas escolhas, ou ausência delas. Uma fictícia linha de fronteira não faz dos alemães menos “homo sapiens” do que nós. Quanto á solução do produzir para exportar…a longo prazo só se for para Marte…pois todos falam no mesmo.
    Salvo melhor opinião, a energia dispensada á troca de acusações que já remonta aqui ao sec. XV, seria mais útil na procura de soluções através de troca de experiencias e ideias, quer gostem ou não estamos todos no mesmo barco, Gregos, Alemães e vizinhos teem um oculto inimigo em comum, e que a longo prazo nos poderá destruir a todos.
    Já agora, não se subestime o sofrimento do povo alemão do antes e pós guerras, também eram humanos e nem todos eram nazis outros eram e nem sabiam o que isso significava, esse sofrimento também explica, em parte, muito ódio. Para que não restem dúvidas ou más interpretações, declaro sem reservas que abomino o nazismo ou qualquer forma de extremismo.

    Aproveite-mos aqui a presença entre nós do nosso irmão Ramiro e oremos pela paz...e pelo bom senso.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Falou e disse!!!!!!!!!
      Anonimo I

      Eliminar
  12. Exacto. Tambem estou de acordo. O que é mesmo triste é que os cabrões que provocaram esta crise estão a conseguir desmoralizar a reaçao dos povos, pondo-os uns contra os outros, ao invés de se unirem contra os verdadeiros inimigos.
    O grande capital (Goldmans, Deutsch Bank e BPNs etcs); os politicos que casaram com estas e permitiram tal desregulamentação do sistema financeiro, todos juntos, agradecem.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Realmente é triste quando as pessoas se encontram para trocarem opinoes, mas nao sabem do que se trata. Apelam para a violencia.
      Gostei do seu comentário, pois sou da mesma opiniao sua.

      Eliminar
  13. Portugal devia abandonar imediatamente a UE e o euro, indexar o escudo á libra, e voltar-se para os PALOP e para o Brasil. Desta europa só vem perda de soberania para Portugal.

    ResponderEliminar