segunda-feira, 20 de fevereiro de 2012

Um dos tentáculos do polvo: a Fundação Ford.

.







A maior organização filantrópica do mundo, a Fundação Ford, é na realidade a maior fachada da CIA par subverter regimes políticos estrangeiros, fomentar revoltas e penetrar nos movimentos alternativos mundiais, tudo em nome da hegemonia económica americana.




Uma curiosa fundação filantrópica.


A Fundação Ford é uma organização filantrópica, com sede em Nova Iorque, que tem oficialmente como objectivo o financiamento de projectos como os da defesa da democracia e a redução da miséria. 


Foi criada em 1936 por Henry Ford, figura lendária da indústria automóvel, mas também antissemita militante, que financiou o nacional-socialismo alemão e que detinha uma grande parte do capital da empresa química IG Farben, frabicante do gás zyklon B. Também foi ele que nos anos trinta construiu as primeiras fabricas de produção automóvel para Stalin. 


 
Uma fachada da CIA.


A Fundação Ford é a maior fundação filantrópica do mundo, mas na realidade, foi fundada para servir de fachada às operações financiadas pela CIA. O objectivo é interferir no regimes políticos dos outros países isolando movimentos de oposição aos interesses americanos. Funciona como uma extensão do governo dos Estados Unidos.


Um caso típico, é o financiamento do Congresso para a Liberdade da Cultura (Congress for Cultural Freedom), fundada em 1950, com sede em Paris, que é financiado pela CIA através da Fundação Ford. 


Durante a "guerra fria" este Congresso tinha por missão a elaboração de uma ideologia anti-comunista aceitável tanto para a direita conservadora, como para a esquerda socialista e reformista. Uma das suas criações foi a retórica da possibilidade da existência de uma "terceira via" que era, nem mais nem menos, uma "desmarxialização" dos meios intelectuais ligados aos Partidos Comunistas europeus.



Neutralizar os opositores.


Desde a sua criação, a Fundação Ford não mudou os seus objectivos: a defesa dos interesses estratégicos dos Estados Unidos. A diferença, é que actualmente tem vindo a desenvolver um novo método de ingerência: o "soft power", isto é, intervir nos debates internos dos seus adversários, através de subvenções, de modo a favorecer entre os vários grupos rivalidades esterilizantes. 


Antigamente, os dirigentes da fundação e os da CIA iam-se revezando. Actualmente, a presidente da fundação é Susan Berresford, membro executivo do Chase Manhattan Bank, mas ela também é membro da Comissão Trilateral e do Council on Foreign Relation (CFR).


O conselho de administração da Fundação Ford é composto por membros da Xerox, Alcoa, Coca Cola, Levi-Strauss, Reuters, Time warner, CBS, Bank of Enlgand, J.P. Morgan, Texaco,Carlyle,...


O combate actual da fundação já não é o perigo comunista, mas sim, formar os futuros dirigentes mundiais para os tornar mais compatíveis com o pensamento económico americano e assegurar-se de que os que se opõem à hegemonia dos Estados Unidos não irão muito para além das suas simples campanhas eleitorais.


A Fundação Ford também financia os movimentos de oposição aos regimes inimigos. Financia o National Endowment for Deemocracy e assegura-se da vassalagem dos dirigentes da Nigéria e de Angola por causa do seu petróleo. 



O controlo da ONU.


O outro grande domínio de influência da Fundação Ford é a junto à ONU. Aqui, a fundação promove um modelo menos agressivo do que o dos neo-conservadores, dando a sensação de uma maior abertura à ONU e uma diplomacia menos agressiva.


Foi assim que Koffi Annan, com a sua aparência moderada, foi eleito para a ONU. Koffi Annan foi financiado pela fundação Ford para ir estudar nos Estados Unidos, no MIT, antes de prosseguir os seus estudos na Suíça. Próximo de Madeleine Albright, foi nomeado secretário-geral da ONU por ser tido como "o homem dos americanos".



 
Controlo da informação e movimentos alternativos.


A Fundação Ford tem um grande peso nos media. No passado financiava os jornais anti-comunistas, actualmente financia jornais alternativos, juntamente com o Instituto de George Soros. A finalidade é penetrar os reservatórios do pensamento critico que constituem esses jornais alternativos, para os sabotar do interior focando a critica sobre temas bem definidos e omitidos informação perturbadora para o sistema americano.


A Fundação Ford também financia abundantemente os movimentos e reuniões alter-mundialistas como o Fórum Social Mundial. Esta intrusão permite-lhe ter um peso decisivo nos debates dessas organizações. Para perceber bem essa influência, chegou-se ao ponto de ouvir dizer a alguns militantes desses fórum que punham em causa o FMI e o Banco Mundial, e que seria necessária uma taxa sobre as transacções financeiras que essa deveria ser colectada e gerida pelo....FMI.


Convém não esquecer que a Fundação Ford não financia o Fórum Social Mundial por partilhar das suas ideias, mas ao contrário financia-o para o poder neutralizar. O mesmo se passa com os financiamentos de organizações estrangeiras. Estas servem para alimentar os conflitos e as rivalidades internas de um país, enfraquecendo os movimentos anti-americanos e facilitando o triunfo dos mais brandos sobre os mais perturbadores para os Estados Unidos.




http://guerre.libreinfo.org/manipulations/mensonges-de-guerre/83-fondation-ford/781-ford-subventionne-contestation.html


http://fr.wikipedia.org/wiki/Congr%C3%A8s_pour_la_libert%C3%A9_de_la_culture


http://www.voltairenet.org/Quand-la-CIA-financait-les


http://www.voltairenet.org/La-Fondation-Ford-paravent



.

17 comentários:

  1. Olá dr. Octopus,
    Assim é que é! a desmascarar impostores!


    As Fundações como a Carnegie, Rockfeller e Ford têm uma influência corrosiva na sociedade democrática, pois sustentam concentrações de poder e riqueza des-regulados e irresponsáveis. Compram talentos para promoverem causas e de facto estabelecem as agendas destes talentos no que merece a atenção da sociedade. Estes servem como agências de "cool out" (arrefecimento) atrasando e impedindo mudanças radicais. Ajudam a manter a (des)ordem económica e política de âmbito internacional, beneficiando sempre os interesses da classe dominante de filantropos, ou melhor, filantropóides - um sistema que trabalha a favor das minorias, contra a classe trabalhadora e contra os Povos do Terceiro Mundo.


    http://marecinza.blogspot.com/2011/12/as-fundacoes-e-engenharia-social.html

    Ordens da cabeça do polvo - Rothschild - às fundações:
    - oferecer oportunidades
    - destruir oportunidades
    - controlar a economia
    - controlar as matérias primas
    - controlar o capital
    - controlar as taxas bancárias
    - controlar la inflação
    - controlar a propriedade
    - controlar a capacidade industrial
    - controlar o fabrico
    - controlar la disponibilidade dos bens de consumo
    - controlar o preço dos bens de consumo
    - controlar os serviços, a força de trabalho, etc.
    - controlar os salários dos funcionários do governo
    - controlar as funções jurídicas
    - controlar as bases de dados pessoais
    - controlar a publicidade
    - controlar o contacto com os Media
    - controlar o material disponível para a recepção de sinais TV
    - distrair a atenção dos problemas reais
    - fomentar as emoções
    - criar desordem, caos e alienação mental
    - controlar a elaboração de formulários de impostos mais detalhados
    - controlar o armazenamento de informação
    - desenvolver análises e perfis psicológicos dos indivíduos
    - controlar os factores sociológicos
    - controlar as possibilidades de riqueza
    - tornar débil a presa
    - neutralizar as forças
    - sugar a riqueza e a substancia


    E ainda as ideias do sr. Rothschild:

    (...)Para resumir tudo isto, descobriu-se que a economia obedece às mesmas leis que a electricidade, e todas as teorias matemáticas para o "know-how" , o saber fazer, na prática e o que um computador desenvolvido na área de electrónica, poderia fazer se directamente aplicado ao estudo da economia.




    Esta descoberta não foi abertamente proclamada e as implicações mais subtis eram e ainda são, um segredo bem guardado, como o facto de que um modelo económico, a vida humana, é medida em dólares, ou gerado por ignição eléctrica, por um interruptor conectado a um indutor activo. É matematicamente análoga ou similar para o início de uma guerra.

    http://marecinza.blogspot.com/2012/02/armas-silenciosas-para-guerras_20.html

    Um beijo dr. Octopus

    ResponderEliminar
  2. Olá Dr.Octopus:A fundação Ford foi co adjuvante de todos os golpes de estado na América latina. Do Brasil, ao Chile, a Argentina,ao Uruguai, para falar dos mais próximos onde vivo e melhor conheço. Patrocinou os golpes econômicos por assim dizer, sustentando em Chicago os economistas que depois viriam para seus países como alunos diletos de Milton Friedman provocar o descalabro entreguista das privatizações, desregulamentações de preços e eliminação de empregos, com o disfarce de controlar a inflação nestes países. Como resultado obtiveram o auge do neoliberalismo nestes territórios, com a concentração de renda nunca vista antes, e o empobrecimento geral do povo e do estado que reduziu a míngua a sua soberania nos países onde lançou, e ainda lança seus tentáculos. Haa!! Se os europeus conhecessem a nossa história aqui na América Latina. O Cono Sul foi a primeira cobaia destes infelizes mas, desgraçadamente, não a última. Abraços

    ResponderEliminar
  3. A_funda_ção

    (acho que comentei um lugar comum... que hei-de eu dizer?)

    ResponderEliminar
  4. Dr Octopus

    Assim não tem como fazer comentário, vou ter que acordar mais cedo que a Fada e a Maria, não sobrou nada para eu comentar, hehehehe.

    Pois bem, só me resta dizer que o post e os comentários estão excelentes.

    E já que a Fada e a Maria já disseram tudo, vou tomar a liberdade de colocar o post em meu blog para que chegue ao conhecimento de mais pessoas, e vou rezar para que aumente o número de conscientização.

    Um grande abraço meu amigo, e beijos para as madrugadoras Fada e Maria

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Burgos meu amiguinho querido,
      Não madruguei... escrevi isso ontem ao fim da tarde. O dr. Octopus é que não gosta de relógios... :) e faz muito bem! :) eheheheheh!!!

      Um beijinho grande para si.

      Eliminar
    2. Fada, sem querer acertas-te. Não uso relógio desde há mais de 30 anos. :)

      Eliminar
  5. Há ainda uma coisa dr. Octopus, se isto é a verdade, o que eu não duvido: "A Fundação Ford também financia abundantemente os movimentos e reuniões alter-mundialistas como o Fórum Social Mundial" Que pensa dos famosos internautas Alex Jones e Daniel Estulin? Tenho sempre uma desconfiança para com eles, será infundada?

    ResponderEliminar
  6. Penso que já falamos disso uma vez, através do blogue do Fernando Negrão.
    Na altura ele até ficou um pouco "chateado" com o que eu disse.
    Li todos os livros de Daniel Estulin e vou frequentemente ao site dele. Não vou tão frequentemente ao site do Alex Jones.
    Existe ainda o Jim Tucker, mais discreto e de que pouco se fala, apesar de ter sido o primeiro a denunciar as reuniões dos Bilderberg.
    Sempre tive e tenho grandes dúvidas em relação a Jones e Estulin. Se fossem mesmo incômodos para o sistema não teriam a "publicidade" que o próprio sistema lhe dá, há muito que teriam sido "eliminados".
    É verdade que focam algumas questões pertinentes, mas muitas delas são no fundo do domínio publico, para um público mais atento. Muitas das outras questões mais importantes não são abordadas.
    Peço desculpa pelo termo, mas funcionam um pouco como bobos da corte, tolerados pelo sistema por serem inofensivos.
    Infelizmente, existem personagens criadas para infiltrar os meios alternativos de informação e muitas vezes desacreditá-los.
    Penso que poderemos estar perante um caso destes.

    Um beijo Fada e um abraço para o Fernando

    ResponderEliminar
  7. Pois...dr Octopus, imagine que tudo o que escreveu é tão verdade, que na foto do artigo que traduzi sobre os Rothschild, de onde retirei esses excertos que acima deixei, encontro a Sky... a fonte é deles. Skynet.
    Já tinha visto os tentáculos da Fundação Ford num diagrama que o Fernando Negro me passou e estavam lá, todas essa ligações que fala da Ford à CIA, á internet e à informação em geral.

    Quanto ao Estulin e Alex tento mas não consigo ver neles, senão agentes de informação apenas para um nº residual como diz acima, de des-informação... ou talvez até, como agentes indutores do medo generalizado (guerra nuclear com o Irão...o Alex fala nisso há uns anos e até da guerra na Europa) e ainda, como factores indutores de conformismo, adaptação e tolerância, perante a fatalidade da implantação da NOM.
    "Quando uma arma silenciosa é aplicada gradualmente, as pessoas ajustam-se, adaptam-se à sua presença e aprendem a tolerar o seu impacto sobre suas vidas, até que a pressão (psicológica via económica) se torna demasiado grande." Isto dito pelo Rothschild.
    Parecemos ratinhos de laboratório nas mãos deles!



    Um beijo para si e para o Fernando

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Fada,
      Eu não teria dito melhor.
      É isso mesmo o que penso, quando dizes que Jones e Estulin poderão funcionar como "factores indutores de conformismo, adaptação e tolerância, perante a fatalidade da implantação da NOM".
      Muito bem escrito.

      Um abraço

      Eliminar
    2. Dr. Octopus... olá! :)

      Veja esta notícia dobre Alex Jones. Já tem uns dias, mas só a encontrei agora.
      agente duplo dos serviços secretos israelitas:

      http://truthernews.wordpress.com/2012/02/16/alex-jones-cancels-speaking-tour-after-exposure-as-stratfor-double-agent/

      Um beijo

      Eliminar
    3. vc é incrivel em seus comentarios e postagens. eu leio td,ou qse td,q vc posta oi comenta. mta clara e direta. isso se estende aos demais deste blog. eu realmente percebo luz em meus olhos ao ler tais posts e comentarios, sem lisonja!

      Eliminar
  8. Que posso eu acrescentar aos seus excelentes comentários e aos igualmente excelentes e fundamentados da Fada?
    Apenas que estou pessimista mas que tenho que agir como se fosse optimista...
    É uma angustiosa ( mas não paralisante, pelo contrário ) contradição pessoal. A de acreditar profundamente que nenhuma transformação é possível sem a empenhada participação dos interessados nela e ver esses interessados
    ( para não dizer os explorados ) tão apáticos e resignados com a sua sorte...
    E depois de ler "Shaping Conformity" de Noam Chomsky, ainda fiquei pior. O que me vale é que, como nunca fui espectador de nada ( da vida, das lutas... )e sim participante empenhado, sempre vou recarregando as baterias da alma ( para a luta, claro ) no meio das multidões nas manifs, greves gerais, etc.
    Até participo nos piquetes de greve, eu que já estou reformado!
    Abraços, amigos. Luís

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Devir,
      Contrariamente a muitas pessoas, sou e sempre foi optimista perante qualquer acontecimento da vida.
      O simples facto de existirem pessoas como o Devir reconforta-me nesse meu optimismo.
      Estou convencido que outros caminhos são possíveis, as poucas pessoas que diariamente escrevem nesta meia dúzia de blogues são prova disso.

      Um abraço e força!

      Eliminar
  9. Check this out http://eclinik.wordpress.com/vital-issues/ben-fulford/a-march-31st-deadline-has-been-delivered-to-the-committee-of-300-by-the-gnostic-illuminati-faction/

    ResponderEliminar
  10. Olá Octopus, parabéns pelo blog. Acabei de conhecê-lo. Vou divulgá-lo. Grande abraço!

    ResponderEliminar
  11. Olá Fada,

    Deixando o tema Fundação Ford, já comentado e bem, e pegando nos temas Alex Jones e Estulin, aliás muito interessantes, esta é a minha opinião:
    - Alex Jones - Em tempos acompanhei bastante este comentarista mas desisti por o achar muito pouco credível. Não aprecio a forma folclórica que ele usa para comunicar e parece-me que pelos meios e canais que utiliza, haver por ali muito dinheiro a circular. Quem sabe a Fundação Ford, não está tambem a contribuir para a divulgação da palavra.
    - Daniel Estulin - Relativamente a este tenho uma opinião diferente. Tem feito um trabalho de divulgação muito interessante a tal ponto que conseguiu vulgarizar no bom sentido o tema Bilderberg.
    Ainda tenho muitas duvidas da eficácia desta presseguição ao Clube, pelo facto de que tambem tenho muitas duvidas sobre a relevância do Clube na cena internacional. Pelo menos e à conta dele muita gente começou a interessar-se por assuntos fora do circulo mediático.
    Em tempos trocámos umas opiniões sobre isto no marecinza.
    Sendo Bilderberg um encontro aberto a convidados que de certa forma são protagonistas, mesmo que temporários, na politica e outros sectores de influência, aquilo não será mais que um encontro de discussão e consulta, mas nunca de decisão.
    La crème de la crème da decisão, anda por outras paragens pouco ou nada divulgadas.

    abraço
    krowler

    ResponderEliminar