quarta-feira, 14 de Outubro de 2009

O estranho caso da vacina contra a gripe sazonal da Baxter, que continha o virus da gripe das aves...



No início do ano, por pouco que não foi colocado no mercado uma vacina contra a gripe sazonal, que continha também o virus mortal da gripe das aves!

Como é que isto foi possível? A conclusão foi: ter-se tratado de "uma serie de erros técnicos e humanos". Pouco convincente?

Relato de um estranho "incidente"...







Uma empresa poderosa.



A empresa BAXTER, foi fundada pelos médicos D. Baxter e R Falk, tem a sua sede em Deerfied, no Illinois, nos Estados Unidos.



Movimenta anualmente 12 mil milhões de Dólares, sendo uma das maiores empresas no sector do medicamento. Baxter está implentada em mais de 100 países e emprega cerca de 46 000 pessoas em mais de 250 edifícios.


Cotada na bolsa de Wall Street, tinha anunciado, em abril deste ano, um aumento de 20% dos seus benefícios no primeiro trimestre. E a pandemia da gripe A ainda não estava declarada!








Percurso de um virus mortal...


Dezembro 2008:

72 kg de vacinas, que deveriam ser contra a gripe H3N2 (gripe sazonal), fabricadas pela Baxter Internacional de Orth-Donau, na Austria, são envaiadas para Avir em Viena. Estas estão contaminadas com o virus vivo H5N1 da gripe das aves.

Avir Green Hills Biotechnology é uma empresa que desenvolve produtos terapêuticos, nomeadamente contra doenças virais.


30 Janeiro 2009:

A Avir envia os 72kg de vacinas para outros 16 laboratórios na Alemanha, na Eslovénia e na Républica Checa.


31 janeiro 2009:

O material contaminado, chega à Bio Test Ldt, perto de Praga, na Républica Checa, julgando tratar-se das vacinas sazonais encomendadas.


Primeira semana Fevereiro 2009:

Fazem-se testes de um lote de vacinas em animais. Todos os animais morrem. Após analizes, descobre-se que as vacinas tidas como sazonais, tinham também o virus H5N1, responsável pela gripe das aves, altamente mortal.


6 Fevereiro 2009:

Baxter recebe a notícia. Os lotes dos outros 15 laboratórios que receberam as vacinas fazem testes. Mesmo resultado, todos continham o virus H5N1. Todo o material é destruido.


9 Fevereiro 2009:

O Ministério da Saúde Austriaco é informado do incidente. Um inquérito é iniciado.


16 Fevereiro 2009:

Nenhum problema é detectado nas instalações da Baxter em Orth.

Baxter num comunicado, diz ter-se tratado de "uma serie de erros técnicos e humanos".







Perguntas sem resposta:


Como foi possível, que a manipulação de um agente biológico perigoso, o virus H5N1, com nível de segurança 3 ou 4 (numa escala máxima de 4) tenha sido manuseado no mesmo local que um agente ( o H3N2) de nível 1?


Como foi possível a introdução inadvertida do virus H5N1 numa vacina sazonal?


A transmissão do virus H5N1 de homem para homem é muito limitada, mas tem uma taxa de mortalidade da ordem de 63%. Em contrapartida os virus das gripes sazonais têm uma propagação fácil através das vias aéreas, apesar da fraca mortalidade.


O problema é que a junção dos dois virus poderia ter criado um virus híbrido, de propagação fácil e mortal, servindo de foco inicial para a sua disseminação mundial.


Após a autorização de comercialização pela EMEA (Agência Europeia do Medicamento) das vacinas contra a gripe A fabricada pela Novartis (Focetria) e pela GlaxoSmithKline (Pendemrix), está também autorizada a da Baxter (Celvapan)...




Sem comentários:

Enviar um comentário