quarta-feira, 20 de novembro de 2013

Máfias desportivas

.










As apostas desportivas na Internet multiplicaram-se nos últimos anos. Movimentam mais de 500 mil milhões de euros por ano. Rapidamente as máfias viram nessa actividade uma enorme fonte de receita e a possibilidade de lavagem de dinheiro proveniente dos mais variados tráficos ilegais. 


Meios financeiros colossais, legislação inadaptada, facilidade de utilização, dificuldade em localizar a proveniência do dinheiro apostado, são algumas das razões do sucesso das apostas desportivas que ameaçam o espírito e a verdade desportiva.




Sem risco.

Um traficante de droga pode ganhar até um milhão de euros por ano, com todos os riscos que isso implica. Mas é possível ganhar a mesma quantia num único jogo manipulado de primeira divisão e sem risco, dado que em caso de investigação o jogador mesmo num site ilegal não será condenado, mas sim o operador.



Lavagem de dinheiro.

 Existem várias formas para a lavagem de dinheiro através das apostas desportivas. A mais comum é apostar num super favorito que quase de certeza irá ganhar, a cotação é muito fraca, mas está quase seguro (mais de 95%) de ganhar e assim recuperar a totalidade do dinheiro e assim efectuar a lavagem do dinheiro proveniente de tráficos ilícitos como droga, armas ou prostituição. Outra maneira é apostar nos três resultados possíveis: vitória de um clube, empate e derrota. Qualquer que seja o resultado, isso permite recuperar uma soma importante do dinheiro apostado.



Apostar em tempo real.

A maioria das máfia da Ásia e da Europa de Leste contratam matemáticos de alto nível para penetrar as deficiência do live-betting (apostas em tempo real). Este tipo de apostas é mais difícil de controlar por parte das autoridades que tentam aperceber-se se existem apostas suspeitas com determinadas cotações irrealistas. ´É um tipo de aposta menos ariscado e permite a lavagem de milhões.



Corromper os jogadores.

O resultado de um jogo de futebol assenta apenas num punhado de jogadores, que muitas vezes são jovens e vulneráveis e dispostos a receber uma determinada quantia em troca de perderem um jogo, quantia essa que é superior ao que iriam receber ao ganha-lo. De todos os jogadores, o guarda-rede é o mais fácil de corromper. Não se trata só de deixar entrar golos para perder um jogo, por vezes trata-se apenas de deixar entrar apenas um único golo a mais, sem que tenha influência no resultado final. Ganhar um jogo por 5-1 ou por 5-2 não afectará a equipa, mas no entanto esse golo deixado entrar fará toda a diferença nas apostas no número de golos.



Intimidação.

Quando um determinado jogador não está "receptivo" a receber uma determinada quantia em troca da perda de um jogo ou de um golo, existe a chantagem e a intimidação verbal ou física. Poderá, por exemplo, receber uma chamada telefónica descrevendo com pormenor o quotidiano da sua mulher ou filhos, e que caso não colabore estes poderão ser alvo das consequências. Corromper um arbitro, treinador ou dirigente desportivo poderá ser ainda mais eficaz.





O futebol, mas também o ténis e qualquer outro desporto, hoje em dia, fazem parte das apostas. A primeira reacção é pensar que a manipulação de resultados se limita a jogos de pouca visibilidade, ligas de futebol de terceira ou quarta divisão, onde os jogadores são menos bem pagos e assim facilmente corrompidos. Mas na realidade todas as primeiras ligas da Europa também são atingidas, assim como a Liga dos Campeões e até o Mundial.


Apesar de tudo, é mais prudente para os grupos mafiosos apostar em jogos de terceira liga de um país como a Bulgária do que em jogos mediáticos e portanto mais vigiados. Hoje em dia já é possível apostar num qualquer jogo de futebol de terceira divisão de países como Moçambique ou Paquistão.


Na Ásia, onde o montante das apostas desportivas é enorme, o maior site asiático, Sbobet, gere por ano um volume de dinheiro equivalente à grande multinacional europeia como Renault.





.

Sem comentários:

Publicar um comentário