quinta-feira, 7 de Junho de 2012

Teologia

.






Teologia,segundo está no Dicionário,
é àcerca de Deus,religiosa Doutrina,
mas penso que é uma ideia cretina,
p'ra reprimir e domar o Povo vário.

A teologia é uma empírica ciência,
baseada na superstição e crendice,
que,desde há milénios,com pulhice,
mantém os Povos na subserviência.

Na Holanda,foi exibida na Televisão,
como um êxito dos humanos valores,
da lendária Biblia,uma nova tradução,
bebida em fontes gregas,por «doutores».

E pretendem êstes biblicos «doutores»,
com esta Biblia agora modernizada,
debelar a falta de humanos valores,
nesta sociedade egoísta depravada.

Que a Plebe seja «levada» pela crendice,
não me causa espanto nem admiração,
mas se o letrado faz,do ignaro,exploração,
isso,para mim,é uma imperdoável pulhice.

Mas,da Biblia,a moderna tradução,
originou polémica entre os «doutores»
causando entre êles aparentes dissabores,
o que não passa de académica discussão.

Foi sempre assim desde a Antiguidade,
que,da Tribo,o mais forte e espertalhão,
é que é,da Tribo,o seu Rei ou Capitão,
assistido por Sacerdotes da Divindade.

A Plebe,na sua ignorância e superstição,
crê num Ser superior que tudo domina,
e acata,dos Sacerdotes,a biblica doutrina,
ainda que seja contrária à humana Razão.

Por exemplo,a judaico-cristã teologia,
diz que toda a autoridade vem de Deus,
e que toda a gente,em especial os plebeus,
devem acatar as Normas da Aristocracia.

A Aristocracia,é pois a chamada Nobreza,
que,dizem ser de sangue azul,possuidora,
a qual,presentemente como outrora,
é defendida p'la teologia com fina subtileza.

Assim vemos a Corôa dos Reis encimada,
com a Cruz,símbolo do sofrimento e da dôr,
que a Plebe deve suportar resignada,
confiando crente no Messias Salvador.

No Mundo,as várias e absurdas Teologias,
téem todas elas,como única finalidade,
levar os Povos a crer numa Divindade,
e a suportarem,dos Poderosos,as Tiranias.

É pois baseado na empírica Teologia,
que Israel com o seu biblico Sionismo,
exerce na Palestina,bárbaro Terrorismo,
ao abrigo da biblica e absurda Teoria.

Mas,ainda hoje,tal como na Antiguidade,
os Poderosos querem a Plebe em submissão,
ajoelhada,de cu p'ró ar e cabeça no chão,
para poder explorá-la sem contrariedade.




Texto de José Gonçalves Cravinho
http://desabafosdumemigrante.blogspot.pt/
.

14 comentários:

  1. Isso
    que aí está dito
    foi quase igual, por mim escrito
    em livro publicado
    de cuja página transcrevo
    o post que hoje foi editado

    Na igreja de Nharea, em Angola, no Dia do Corpo de Deus

    ResponderEliminar
  2. Amigo Octopus

    Excelente post!

    A religião veio para aterrorizar as pessoas, enquanto há guerras as pessoas se colocam de joelhos esperando que "Deus" venha em auxilio, quanto as desgraças sempre ouvimos "Deus sabe o que faz", a crendice leva as pessoas a inércia, sempre esperando por um "Deus Salvador", não entendem que só nós mesmos podemos nos salvar, uns ajudando outros, dando as mãos e abrindo os olhos, só solidariedade nos unirá.
    Acredito que "Deus" está dentro de cada um, em cada atitude, em cada sentimento bom, em cada sorriso de uma criança, não em um templo onde fazem regras e decidem o que é bom ou ruim.
    Lí um pensamento humanista que dizia:

    Os homens aproveitaram a ignorância da população para tirar algum proveito dessa situação. Usaram a religião para benefício próprio, infringindo diretamente a Lei Universal - amai o próximo como a ti mesmo. Por quê? Distorceram a religião, o sagrado e usaram o grande ensinamento para fazer dinheiro. Fizeram da religião uma máscara para satisfazerem suas necessidades animalescas. E o pior é que desde aquele tempo, mesmo com todos os mártires que vieram após Jesus, nada mudou. Evoluímos (e muito) tecnologicamente mas nada moralmente.

    Moral e intelecto parecem andarem desgarradas quando deveriam andar de mãos dadas!


    Um grande abraço meu amigo

    ResponderEliminar
  3. Esse texto me faz lembrar muito de outro, chamado a "Velhice do Padre Eterno" de Guerra Junqueiro que em seu tempo também produziu um poderoso libelo contra a Igreja Católica em Portugal.

    ResponderEliminar
  4. Eu,um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote,agradeço a Octopus a atenção que prestou aos meus desabafos em poesia
    e os colocou aqui nêste seu Blog,um Blog que eu por acaso só há poucos dias encontrei e que agora diàriamente pesquiso.Aqui vai o meu Obrigado para Octopus com os meus respeitosos cumprimentos.José Gonçalves Cravinho.

    ResponderEliminar
  5. Octopus, grande abraço pelos inúmeros textos que tenho lido e que infelizmente só há poucas semanas comecei a ser assíduo leitor. O seu Blog é uma autêntica bíblia. Não desista. E já agora peço-lhe um favor: o que pensa sobre a nova lei do arrendamento urbano? O que pensa sobre os senhorios, muitos deles com vários prédios, todos eles com a corda pronta para pendurar os idosos que, perante a situação que atravessamos, terão que entregar as suas pensões e reformas a quem deles se aproveitou para viverem na opolência que se lhes reconhece. Avaliar o rendimento dos idosos devia ser acompanhado com a avaliação do rendimento e valores patrimoniais dos senhorios. A nova lei do arrendamento urbano não é mais que um barril de pólvora pronto a acordar, violentamente, a consciência deste Povo.

    ResponderEliminar
  6. Religiões... Para os Ateus também há uma muito boa! O FUTEBOL... E não fui eu que inventei esta!!!
    Só começo é a ficar cada vez menos qualificável, isto porque, além de não acreditar em DEUSES, também não gosto nada de futebol...
    Sou um a-etiquetado! Fantástico!
    Abraço

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. futebol é religião para os ateus!? olhe que não. sou ateu e gosto de futebol mas não embarco em paixões, clubísticas ou patrioteiras, por causa de um jogo de ' artistas' bem pagos. e o que vejo nos estádios é toda a gente a benzer-se e a olhar para o céu - jogadores, treinadores, árbitros, tutti quanti. se isso é ateísmo...
      parabéns ao autor das rimas pela ideia e pelo esforço. mas claro que o grande guerra junqueiro escreveu sobre isso muito melhor, como é natural - desculpe lá. vale a pena ler 'a velhice do padre eterno'.
      hugo

      Eliminar
    2. Olá hugo... A única regra, é que todas as regras têm excepções!
      Eu reescrevo "...E não fui eu que inventei esta!!!"
      Mas de qualquer forma até os ateus mandam dessas bocarras e benzem-se pois é apenas a manifestação de um comportamento condicionado!
      Abr

      Eliminar
    3. A hugo agradeço os parabéns pelo meu desabafo em poesia e aproveito a ocasião
      para dizer que tenho o livro de Guerra Junqueiro «A velhice do Padre Eterno»
      e claro está que Guerra Junqueiro,um iminente escritor,escreve muito melhor do que eu que sou um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote(88anos).
      Os meus desabafos em poesia/são a forma que tenho à mão/para criticar,dêste mundo cão/a pulhice e a velhacaria.

      Eliminar
  7. Devia ter estado hoje a ouvir Manuel J. Gandra sobre o dia de Portugal.

    Não sendo teologo, maçon ou iniciado não podemos negar que talvez possa existir algo. Se para ser engenheiro estudam-se matematicas então noutros campos ter-se-á que adquirir outras ferramentas.

    "lá por não acreditar no Diabo não significa que o Diabo não acredite em si"

    ResponderEliminar
  8. Gostei muito do poema do sr. José Cravinho! Ora aí está uma pessoa que eu gostaria imenso de conhecer pessoalmente... imenso!
    Desde já e com humildade, deixo o meu agradecimento sincero, pelas boas palavras que me deixou em comentários neste blogue, que tomei como uma honra. Sinto-me honrada por terem vindo de quem vieram! Obrigada.

    Em relação às religiões, concordo plenamente, pois sendo agnóstica tenho alergia a dogmas. Como aqui é dito, servem para aterrorizar os povos e visam dividir para reinar!

    Mas e ainda em relação ao judaísmo e à ocupação da Palestina durante quase meio século de tortura e genocídio, deixo aqui as palavras do Prof Alfredo Braga:

    Freqüentemente ouvimos, ou lemos, frases de judeus famosos aludindo a “três religiões monoteístas“, como se a deles fosse perfeitamente comparável ao catolicismo e ao islamismo e os seus bilhões de seguidores, tanto no Oriente quanto no Ocidente. Pretender equivalências entre o judaísmo e as demais religiões é, evidentemente, um grande engodo, ou ladina falácia, tanto em relação ao número de devotos, quanto ao próprio ethos de suas doutrinas e fundamentos morais, como o historiador Mark Weber expôs tão claramente em seu ensaio, O peso da tradição.

    Já não é novidade o subterfúgio de separar a noção de "judaísmo", como religião, de "judeu", como indivíduo descendente de família judia, ou do "povo judeu"; como também não é de hoje que nos deparamos com as mais variadas confusões quando o assunto se refere a esse grupo de pessoas, religiosos, ou ateus, que se declaram como judeus, hebreus, israelitas, israelenses, e até como semitas. Não somos nós, todos os não-judeus, que alimentamos essa confusão, a qual somente interessa a quem intenta se guarnecer de uma certa cortina de fumaça e manhosa diluição das suas responsabilidades. Se o “povo escolhido“, os judeus, ou hebreus, ou israelitas, ou como queiram se chamar, são outra “invenção sionista”, e se o sionismo, evidentemente, não passa de uma invenção do judaísmo, o que os faz permanecer judeus, ou insistir em pertencerem a essa “invenção”, como o próprio judeu Shlomo Sand e tantos outros acadêmicos, e outros tantos esclarecidos ateus?

    Digam o que quiserem, neguem o que quiserem negar, montem grandes teorias ou sistemas mas, em realidade, o judaísmo ou a religião judaica, é esse amálgama de movimentos ditos religiosos, e de ateus fanáticos, e de acadêmicos, e de seitas com as mais variadas aparências e tendências, algumas enganosamente “cristãs”, e outras de índole ocultista, ou satanista, com os seus rituais demoníacos e de sacrifícios humanos, e de grupos organizados de “esquerda”, ou de “direita”, com profundas infiltrações nos governos em todo o mundo, desde o Vaticano até ao mais remoto povoado, e com extensas conexões na maçonaria e organizações secretas e, principalmente, nos sistemas de comunicação social e de entretenimento, além do perverso conluio entre banqueiros apátridas, o que lhes facilita e garante, o exercício de suas táticas de sabotagens, e de estratégias de desestruturação social e cultural.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A Fada do Bosque,os meus respeitosos cumprimentos e agradecimento pela atenção dada aos meus desabafos em poesia.Como diz que gostaria de me conhecer pessoalmente,
      eu convido-a a visitar-me em minha casa na Holanda,onde terá alojamento.Mas desde já vos digo que é uma casa simples de um simples operário emigrante na Holanda desde 1964 e já velhote(88anos).Se desejar
      comunicar comigo envie-me o seus email.
      Aqui mais uma vez,o meu Obrigado.

      Eliminar
  9. Essa estrangeira criatura das dez mil caras, o Judaísmo Internacional, sempre em movimentações de dissimulação e em atritos mais ou menos explícitos com as nações no seio das quais engorda e prospera, usa o manto da religião, e também o da universidade, para legitimar ou justificar a sua arraigada prepotência e arrogância, e cultivar o persistente rancor contra a humanidade… e depois, ainda juram de pés juntos que não são uma raça, que não são uma religião, e que em verdade não pertencem a organizações sionistas, nem à maçonaria da B’nai B’rith.

    Perguntar a um judeu o que é ser judeu, ou o que venha a ser o judaísmo, é ter a absoluta certeza de receber as mais enfatuadas respostas. E se você fizer a mesma pergunta a outro judeu, irá ouvir outras respostas completamente opostas às primeiras. E deste modo ladino, lá vão resguardando a ladina e manhosa maneira de atuarem sob antigos e labirínticos privilégios nas mais diversas áreas e camadas das nossas sociedades; são ateus, ou religiosos, ou filhos fanáticos de mães judias, bastardos, ou circuncisos, ou nada do que nos disseram antes, ou o que lhes for mais conveniente naquele lugar e naquele momento. Amanhã já serão outra coisa.

    Mas se você ainda quiser saber o que é um judeu, não pergunte a um deles, pois imediatamente você seria arrastado por um remoinho de evasivas e por uma avalanche de afirmações confusas e de manhoso obscurantismo, ou então, pelo aflito olhar de quem já se fez essa mesma pergunta sem realmente conseguir aceitar moralmente aquele triste legado, de ocultações e embustes, e de incessante rancor. Não pergunte a um judeu o que é o judaísmo, mas olhe bem à sua volta.

    Um grande abraço

    ResponderEliminar
  10. Vejam lá como a plebe reage à "religiosidade" de certos pastores, na sua ignorância e suprstição nesta palhaçada e se puderem, expliquem-me porque anda aqui a igreja metida. Agora vejam Aqui os esqueletos usados na palhaçada!
    Há aldrabões que deveriam estar na cadeia por nos fazerem passar por estúpidos descaradamente. A ignorância é muito atrevida.

    ResponderEliminar