quarta-feira, 20 de abril de 2016

Curdos: um povo sem pátria

.










O "povo das montanhas".

A mais antiga referência a este "povo das montanhas", são as argilas cunéiformes da Suméria, III antes de Cristo.


O povo curdo foi dominado por várias nações. No ano 66 antes de Cristo, o Reino Curdo foi conquistado pelo Império Romano.


Mais recentemente, o nacionalismo curdo emergiu depois da Primeira Guerra Mundial após a dissolução do Império Otomano. O Reino Unido ao combater os turcos tinha prometido aos curdo uma relativa autonomia que após o conflito não cumpriu.



Raízes linguísticas e culturais.

Cerca de metade dos curdos vivem na Turquia, no Iraque representam cerca de 17% da população, no Irão 7% e no Iraque 10%.

Calcula-se que existam 35 milhões de curdos que apesar de terem a mesma cultura não têm a mesma religião. 


80% são maioritariamente muçulmanos sunitas, ainda que existam alguns sunitas. 20% dos curdos não são muçulmanos: os Yezidis. Estes, apesar de monoteístas, estão mais próximos do zoroastrismo, religião aparentada do cristianismo ao sufismo.


Actualmente os yezidis são perseguidos pelos extremistas islâmicos e representam mais de 500 000 curdos.


Os curdos assentam a sua identidade, não na religião, mas sim na sua língua e na sua cultura.



Israel como aliado.

Os curdos têm muito poucos aliados, na região, apenas Israel está a favor da criação de um Estado Curdo, sendo que esta proposta tem a feroz oposição da Turquia, do Iraque e da Síria.


Não é de estranhar o apoio de Israel à criação de um Estado Curdo, dado que iria dividir intrinsecamente esses países que se opõem. Israel tem fornecido armamento aos curdos por serem uma barreira aos islamistas radicais anti-Israel.


A criação de um Estado Curdo seria um tampão entre Israel e, o Irão e a Turquia.






O cheiro a petróleo.

Israel importa 3/4 do petróleo do Curdistão iraquiano que decidiu atribuir concessões petrolíferas à Exxon, Chevron e Total, o transporte irá ser feito através do oleoduto com origem em Tak Tak (Curdistão iraquiano) até à Turquia, com uma capacidade de 400 000 barris por dia. Actualmente o Curdistão iraquiano produz 125 009 barris por dia.


A intervenção americana no Iraque não é inocente. Esta região do Curdistão é particularmente rica em petróleo.


Examinando a carta petrolífera, constatamos que a região mais rica em petróleo é a zona controlada pelos Yezedis. Zona cobiçada pelo auto-proclamado Estados Islâmico, mas também pelos países ocidentais.







.

Sem comentários:

Enviar um comentário